Orações e Devoções

Terço dos Jovens

A proposta do terço dos jovens, que é realizado pelo Grupo de Jovens PJC, é rezar o terço pelas famílias. Para que todas sejam fortalecidas no amor e na fé, e que preservem o verdadeiro sentido do Amor de Cristo. Acontece no primeiro sábado do mês às 17h00.

Terço dos Homens

A proposta deste grupo tenta criar um espaço dentro do seio da Igreja para o crescimento do homem, para “desempenhar melhor a sua paternidade e a sua missão cristã”. Rezando, cultivando seu espírito, construindo vínculos de amizade o homem pode voltar a ocupar o lugar de pastor e mestre, como exemplo de Cristo. Aí radica o porquê de uma oração exclusivamente masculina. Acontece no segundo sábado do mês às 17h0

Novena dos pais que oram pelos filhos

Com o objetivo de fortalecer a espiritualidade, renovar a fé e o amor da família. Acontece toda terça-feira às 19h00 com bênção especial para a família.

Hora Santa Eucarística

Toda primeira sexta-feira do mês: 14h00 e 19h30 Mais informações em: secretaria@pcormaria.com | (41)3224.9574

Consagração ao Coração de Maria

Oh Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe! A vós recorremos consagrando­nos ao vosso Imaculado Coração para que reines em nossos corações, em nossas famílias e nos coloquemos sob tua materna proteção. Consagramos­-vos nosso corpo, nossa alma, nossas famílias, nossa casa, tudo o que somos e temos. E para que esta consagração seja eficaz e verdadeira, renovamos diante de teus pés as promessas que nossos pais fizeram no dia do nosso batismo. Renunciamos às seduções do mundo e dos inimigos de Deus. Seus critérios de riquezas, honras e prazeres. Seus escândalos e pecados. Renunciamos às nossas más paixões e as intrigas do demônio. E nos comprometemos em conservar nossa fé, santificar nossos costumes e seguir a doutrina do Magistério da Santa Igreja Católica fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo e frequentar os Santos Sacramentos. Amém. Imaculado Coração de Maria: Rogai por nós!

Fiéis ao Espírito Santo

Deus nosso Pai
Que concedestes a Santo Antonio Maria Claret
Um amor filial ardente ao Santíssimo Sacramento E ao Imaculado Coração de Maria,
Para que realizasse na Igreja de Deus
Grandes maravilhas para vossa maior glória
E para a salvação das almas,
Concedei-nos que ardendo na sua imitação,
Nos mesmos amores santos,
E continuando com a maior eficácia
A sua obra evangelizadora
Mereçamos viver e morrer na congregação
Como ilustres filhos do Imaculado Coração de Maria.
Amém!

Oração de Santo Antônio Maria Claret para os que sofrem

Ó Jesus de minha vida! Pelo que pude constatar, sei que os sofrimentos, as dores e os trabalhos são as características do apostolado. Com vossa graça as abraço, delas me revisto. Meu Senhor e Meu Pai, estou pronto para beber este cálice de purificação interior e decididamente disposto a receber este batismo de provações externas. E digo: longe de mim gloriar­me em outra coisa a não ser a vossa cruz, na qual está pregado por mim, e eu também quero estar pregado por vós. Amém.

Oração de Santo Antônio Maria Claret para pedir o amor de Deus

Senhor, não busco, nem quero saber outra coisa senão Vossa Santíssima vontade e cumpri­la com toda a perfeição. Não amo senão a vós. Em vós, unicamente por e para vós são todas as demais coisas. Sois para mim mais que suficientes. Senhor, vós sois meu Pai, meu amigo, meu irmão, meu esposo, meu tudo. Eu vos amo, meu Pai, fortaleza minha, meu refúgio, meu consolo. Fazei, meu Pai, que vos ame como vós me amais e como quereis que eu vos ame. Ó meu Pai! Bem sei que não vos amo o quanto deveria amar­vos, porém, estou certo de que virá o dia em que vos amarei o quanto desejo amar­vos, porque vós me concedereis o amor que vos peço por Jesus e por Maria. Ó Meu Jesus! Peço-­vos uma coisa e sei que quereis concedê­la. Sim, meu Jesus, peço­vos amor, grandes chamas desse fogo que fizestes baixar o céu à terra. Vem fogo divino! Vem, fogo sagrado, incendeia­me, abrasa­me, derrete­me e funde­me para que assuma o molde da vontade de Deus. Amém.

Oração pedindo a cura do câncer pela intercessão de Santo Antonio Maria Claret

Senhor Deus, Pai de toda consolação, que por meio, de vosso Filho Jesus Cristo curastes os males dos enfermos compadecendo-­vos especialmente dos sofrimentos do corpo e da alma. Vós que escutais as preces dos que buscam com confiança a intercessão de vosso missionário Antonio Maria Claret, atendei nossas súplicas pelos que padecem a enfermidade do câncer. Lembrai­-vos especialmente de (silêncio, mencionar o nome…). Amado Pai, dai vossa assistência por meio de vosso Espírito de fortaleza e por intercessão de Santo Antonio Maria Claret aos que sofrem desta doença. Pedimos­-vos que lhes concedais alívio nos sofrimentos, confiança para se associar à Paixão de vosso Filho, esperança para superar toda depressão e a graça de encontrar a saúde corporal de que necessitam. Amém. Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai. Santo Antonio Maria Claret: rogai por nós!

Oração pela paz - contra toda violência

Ó glorioso Santo Antônio Maria Claret, mensageiro da paz! Vós que em vida sofrestes tantos tipos de violência e perseguições, como atentados, assaltos, roubos e ameaças de morte, mas que pela fé e confiança em Deus e apoiando­se com devoção no Coração de Maria, todas as vezes saístes ileso destes males, intercedei junto a Deus por nós, para que Ele olhe por nós e guarde­nos livres de todos os perigos, dos assaltos, dos roubos e dos seqüestros. Pedi a Deus que proteja a minha vida e o meu lar, que afaste de mim e da minha família toda espécie de malefício, violência física e moral. Amém.

 

 

 

 

 

  • Santo Antônio Maria Claret fala da devoção do Rosário, cuja propagação lhe mereceu o título de apóstolo do século XIX: “Pode-se dizer que o Rosário é um compêndio da nossa sacrossanta religião, porque consta de seus principais mistérios e quem o reza inteiro, recorda e medita em um dia o que a Igreja celebra em suas festas no ano inteiro” (A Colegial Instruída, Barcelona, 1863, p. 177).

    (Depois da enunciação de cada mistério e de uma citação bíblica são apresentados alguns comentários do Padre Fundador).

    “Veneremos com amor filial a Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus, associada com todo coração à obra salvífica do seu Filho, quer com o culto litúrgico, quer com os exercícios de piedade recebidos da tradição, como o santo Rosário e outros semelhantes”(CC 36). Deve-se rezar em particular quando não se faz em comunidade. (Dir 87).

    Mistérios gozosos (segunda-feira e sábado)

    Primeiro mistério:

    O anúncio da encarnação do Filho de Deus (Lc 1,26-38).

    • O Verbo se fez carne,  para que toda carne fosse salva por Ele.
    • Na Encarnação, resplandece a imensa glória de Deus e o destino do homem. Quem procura Deus e não o encontra é porque O procura onde não está. Deus está em Maria: Dominus tecum.
    • O Filho de Deus encarnou-se porque o abrasava o zelo da glória de Deus e a salvação das almas.
    • Com o imenso e adorável mistério da Encarnação, o Filho de Deus não só salvou, mas também enobreceu, quanto era possível, a natureza humana e, na natureza humana, a criação inteira, posto que o ser humano é uma síntese de toda a criação.

    Segundo mistério:

    A visita de Maria à sua prima Isabel (Lc 1,39-46).

    • Em todas as visitas que fazes, imita Maria: edifica com o teu testemunho e exerce a caridade.
    • Recorda: todo bem que tiveres feito ao próximo ser-te-á restituído um dia pelo Senhor, como se o tivesses feito ao próprio Senhor.
    • Acredita nisso: não é preciso fazer tanto barulho com as palavras: fala com o exemplo, e teu ensinamento será eficaz.
    • Podemos e devemos amar-nos, cientes de que Maria está da nossa parte: como canal de graça, ela nos ampara,  e, como “Torre de Davi”,  ela nos dispensa força e valor.
    • O mundo é como um terreno, Deus é o Senhor, Maria é o canal escolhido por Deus para tornar fértil o terreno. Maria situa-se entre Deus e nós, e com sua proteção nos mantém.

    Terceiro mistério:

    O Natal – o nascimento do Filho de Deus (Lc 2,1-20; Jo 1,14).

    • O ser humano, sem Cristo Jesus, teria sido ainda mais desgraçado que um mundo sem sol.
    • Maria é a Mãe de Deus. Desta sublime, incomunicável e singular dignidade provém e se desenvolve a maravilha de todos seus títulos.
    • A infância é o tempo de semear. Quem deseja colher, primeiro deve ter semeado com abundância.
    • Se a raiz é santa, santos serão os ramos.
    • Que língua poderá proclamar, que mente perceber a sublime dignidade a que foi elevada a Virgem Maria?! Virgem única entre as virgens, escolhida como Mãe de Deus!

    Quarto mistério:

    A apresentação de Jesus no templo (Lc 2,22-35).

    • Possa todo filho ver na mãe as virtudes nas quais a mãe o educa, e nunca encontrar na mãe os defeitos que a mãe nele corrige.
    • Viveremos sempre na alegria, se vivermos fielmente de acordo com a vontade de Deus, abandonando-nos nos braços da Virgem Maria, nossa mãe carinhosa.
    • Aprende de Jesus e de Maria como é necessário e útil conformar-te às disposições e preceitos da Igreja. Maria e Jesus cumprem o que não tinham obrigação de cumprir. E tu, por que te eximes de tuas obrigações cristãs?
    • A cruz precede toda procissão; a humildade, todas as virtudes.
    • A verdadeira glória é como a sombra: foge de quem a procura e acompanha a quem dela foge.

    Quinto mistério:

    Os pais encontram Jesus entre os doutores (Lc 2,41-52).

    • O amor é como o fogo que queima e tudo transforma em fogo. Quem ama nosso Senhor Jesus Cristo transforma em amor tudo o que faz, o que diz, o que pensa, o que sofre.
    • Como Maria e José, vamos procurar Jesus. Foi no templo que O encontraram – tratemos de procurá-lo também no templo, na capela, na oração.
    • José e Maria não tiveram descanso enquanto não encontraram Jesus. Procure-O sem cessar, e também tu O encontrarás.
    • Por meio de Nossa Senhora o prisioneiro recupera a liberdade, o enfermo a saúde, o deprimido a alegria, o pecador o perdão, o justo a perseverança.
    • No universo cristão Jesus é a mente, Maria é o coração.

    Mistérios de dor (terça e sexta-feira)

    Primeiro mistério:

    A oração de Jesus no horto (Lc 22,39-46; Jo 18,4-5).

    • Contempla Jesus no horto. Ele sofre tristeza e agonia. Se perguntas pela razão de tanta dor, Ele te olhará nos olhos.
    • Confiança! Ânimo! Tempestades e furacões não duram sempre. Depois da tempestade vem a bonança.
    • Duas coisas iluminam o caminho para a santidade: o empenho por conhecer a vontade de Deus e a determinação em cumprir até as últimas conseqüências a vontade de Deus que se conheceu.
    • Por acaso foi para gozar a glória do mundo que vos fizestes cristãos? – Levai o nome de Cristo; contemplai a Jesus Cristo, portanto.
    • Jesus é vencedor pela obediência e pela humildade. Dele aprendemos quanto valem a obediência e a humildade.

    Segundo mistério:

    A flagelação de Jesus atado a uma coluna (Mt 27,27-32; Jo 18,38-40;19,1).

    • Nu, amarrado, humilhado, é cruelmente flagelado o inocente por excelência, Aquele que não cometeu pecado algum!
    • Se é certo que o inocente é convidado a sofrer por um espaço de tempo, é também certo que brilhará depois com um grande esplendor, e todos, sem exceção, louvarão o seu nome.
    • Procuremos imitar nosso Senhor Jesus Cristo, que rezou pelos seus perseguidores.
    • Quem vive no espírito de Cristo, considera a adversidade instrumento de purificação e santidade.

    Terceiro mistério:

    A coroação de espinhos de Jesus (Mc 15,16-20).

    • As obras de Deus são como as rosas: cada rosa precedida de espinhos ensina que quem rejeita sofrimento não merece alegria.
    • Tu, perseguido e desprezado e caluniado, tem paciência e cala: imita o bom Jesus. Assim conseguirás a coroa da glória.
    • Enquanto muitos têm Jesus como falso rei e  continuam a ignorar sua mensagem, tu reconhece-O como Rei verdadeiro e vive os preceitos de seu Evangelho.
    • Construirei uma capela no íntimo do meu coração e nela, dia e noite, adorarei o meu Rei e Senhor.
    • Maravilhoso viver na presença de um tão grande Rei! Assim vivendo, tudo adquire grandeza e importância, até as mais pequeninas ações.

    Quarto mistério:

    A Via Sacra – a subida do monte Calvário (Lc 23,2632; Jo 19,1718).

    • Ninguém entra no paraíso sem ter percorrido a vida da cruz. Muitos gostariam de seguir Jesus até o Monte Tabor. Poucos, no entanto, aceitam seu Calvário! A cruz, que cada um está chamado a levar, tem o objetivo de moderar nosso desejo das coisas do mundo.
    • Porquanto Jesus carregou a cruz por nós, é justo e dever de amor que cada um de nós leve a própria cruz.
    • Trabalho e sofrimento são as melhores provas do amor.
    • Ama o bom Jesus. Secarás assim seu suor e suas lágrimas, ajudá-lo-ás a levar a cruz, acompanhá-lo-ás como Nossa Senhora o acompanhou, e não mais terás coragem de abandoná-lo.

    Quinto mistério:

    A agonia e a morte de Jesus na Cruz (Lc 23,33-34.44-46; Jo 19,26-30).

    • A Cruz apresenta ao cristão um compêndio perfeito da moral evangélica.
    • Ninguém tem maior amor do que o que dá a vida pela pessoa amada. Jesus deu a vida por ti. Ele te ama, e quanto te ama! Ora, se amor com amor se paga, ama-o, ama-o de verdade.
    • O pensamento da morte está para a vida como o leme para o navio. Graças ao leme, a nave evita os escolhos e chega ao porto. Graças ao pensamento da morte, o homem evita o pecado e alcança a salvação definitiva.
    • Todos nós, sem exceção, devemos referir-nos a Jesus Cristo. Ele é a pedra fundamental a unir o antigo e o novo Testamento. Ele morre na cruz com os braços abertos para recolher em uma das mãos a Lei antiga e na outra a lei nova da Graça.
    • Porque conheces o valor da santa Cruz, abraça-a e leva-a com alegria, seguindo as pegadas de Jesus, Filho e Mestre.

     

    Mistérios de luz (Quinta-feira), (estes não trazem comentários de Claret)

    Primeiro mistério:

    Batismo de Jesus no Jordão (Mt 3, 13-17; Mc 1, 9-11)

    Enquanto Cristo desce à água do rio Jordão para ser batizado, como inocente que se faz pecador por nós, o céu se abre, o Pai o proclama Filho Bem-amado, e o Espírito Santo lhe confere a missão de Redentor da humanidade, para a qual foi gerado.

    Segundo mistério:

    Jesus faz seu primeiro milagre nas Bodas de Caná (Jo 2, 1-11)

    O primeiro “sinal” ou milagre de Jesus acontece em Caná, quando Cristo Jesus, transformando a água em vinho, abre à fé o coração dos discípulos, graças à intervenção de Maria, a primeira que acreditou.

    Terceiro mistério:

    Jesus proclama o Reino de Deus e convida à conversão (Mt 5, 6, 7, 13; Jo 6, 22-71; 14-17)

    A intensa pregação e os ensinamentos de Jesus anunciam a chegada do Reino de Deus e o tempo da divina Graça e da Misericórdia, que Ele prosseguirá exercendo enquanto o mundo existir, especialmente através do Sacramento da Reconciliação confiado à sua Igreja.

    Quarto mistério:

    Transfiguração de Jesus (Mt 17, 1-13; Mc 1, 12)

    A Transfiguração representa o Mistério de Luz por excelência. A glória da Divindade transparece no rosto de Jesus. Os apóstolos extasiados ouvem a voz do Pai: “Este é meu Filho amado. Escutai-O”. Prepara os discípulos para o momento doloroso da Paixão, a fim de conseguirem viver transfigurados pelo Espírito Santo e chegarem um dia à glória da Ressurreição.

    Quinto mistério:

    Instituição da Eucaristia e do Sacerdócio (Mc 14, 22-25; Lc 22, 15-20)

    Na Eucaristia, testemunho emocionante do mais profundo amor, Jesus se oferece em sacrifício por nós ao eterno Pai e, se faz nosso alimento, doando-nos o seu Corpo e o seu Sangue, ocultos sob os sinais do pão e do vinho.

     

    Mistérios de glória (Quarta-feira e domingo)

    Primeiro mistério:

    A ressurreição do Senhor Jesus (Jo 20,1-10; Mc 16,9-14).

    • Jesus abandona o sudário e o sepulcro e ressuscita glorioso e triunfante. Ressuscitado já não morre mais. Que alegria! Quanta felicidade!
    • Que alegria não sentiu Jesus ressuscitado, quando conheceu, na redenção do gênero humano, a recompensa de sua obediência ao Pai!
    • Todos nós somos chamados a empreender e percorrer o caminho que conduz à glória da ressurreição. É o caminho que o próprio Deus nos apontou: é o caminho do amor.
    • Quem mais tiver sofrido por causa da justiça – isto é, da fidelidade a Deus e da religião – melhor conhecerá quão generoso é Nosso Senhor. A luz de Deus resplandecerá pelos séculos eternos.
    • Na imensidade da divina luz nós veremos a Deus e O amaremos de todo o coração. Nossos desejos serão plenamente satisfeitos porque seremos eternamente felizes, plenamente livres de todo sofrimento e de toda dor.

    Segundo mistério:

    A ascensão do Senhor aos céus (Heb 1,6-11).

    • És peregrino, um simples viandante, aqui na terra. Certamente desejas que tua viagem se conclua na pátria feliz. Não foste criado para a terra mas para o céu, tua verdadeira pátria.
    • Só Jesus Cristo, só seu mistério, pode resolver os problemas humanos, seus dramas intelectuais, morais e sociais, assim como o curso total da história. Jesus é o nosso caminho; não só o caminho; Ele é a verdade e a vida.
    • Cristo Jesus nos remiu e santificou. Ele também nos glorificará, se tivermos força para seguir seu caminho.
    • Jesus nos é proposto a nós, peregrinos na fé, como modelo do amor a Deus e ao próximo e nos espera com o prêmio, no final de nossa caminhada.

    Terceiro mistério:

    A vinda do Espírito Santo (Jo 20, 19-23; Heb 1,13-14; 2,1-4).

    • É atribuída especialmente ao divino Espírito Santo, Espírito de amor, a santificação dos seres humanos. Invoquemo-lo com grande afeto e intimidade.
    • Com o fogo de seu amor, o Espírito Santo purifica e consome quanto de impuro e manchado houver em cada um de nós.
    • O Espírito Santo transformou simples pescadores em Apóstolos sábios e em destemidos anunciadores do Evangelho. Como alma da Igreja de Deus que é, Ele a mantém e santifica, e há de nos dar a cada um de nós conhecer e cumprir a vontade divina.

    Quarto mistério:

    A assunção de Maria em corpo e alma aos céus (Lc 1,46-48; Ef 4,7-13; Col 3,1-4).

    • Existe um céu ao qual convém canalizar nosso afeto e esperança.
    • Imita Maria. Sê fiel à graça. Busca a perfeição. Não desanimes. Não olhes para trás. Procure a virtude. Indizível recompensa te espera!
    • A Assunção de Maria representa um estímulo à nossa esperança de salvação. No céu teremos nosso Pai e teremos também nossa Mãe! E se Maria nos ama tanto na terra, quanto não nos amará no céu!
    • Maria é porta e é também escada para o céu. Se queremos participar da glória do Senhor, chamemos diante dessa porta e subamos pela escada que Deus nos deu.
    • A graça leva Nossa Senhora deste mundo ao céu. Por ela descem do céu os favores divinos e por ela chegam ao céu os nossos pedidos.

    Quinto mistério:

    A coroação de Maria como rainha do universo (Ap 12,1-5.9-10; Lc 1,46-49).

    • A felicidade está só em Deus. Quem deseja buscá-la é necessário que a busque em Deus.
    • A humildade, a obediência, o amor, todas as virtudes, mereceram tanta glória para Maria, que a Igreja, jubilosa, pode assim cantar: A Mãe de Deus no céu está elevada acima de todos os anjos e dos santos.
    • Ao lado de Nosso Senhor Jesus Cristo está a sua e nossa Mãe, coroada rainha do universo, por vontade divina sempre atenciosa às nossas necessidades e anseios.
    • A Virgem Maria é premiada e coroada pela Santíssima Trindade, e sua maior alegria é ver todos os seus filhos, um dia, glorificados para sempre, no céu.
    • Maria é o “coração” da Igreja. Como tal, Ela recebe de maneira privilegiada a divina graça, que deseja infundir no coração de todos os fiéis.

    Oremos

    Nós, vossos servos, vos pedimos, Senhor, gozar sempre de saúde de alma e de corpo. Pela intercessão da gloriosa sempre Virgem Maria, livrai-nos das tentações e tristezas neste mundo e dai-nos gozar das alegrias do céu, um dia. Por Jesus Cristo, nosso Senhor.  – Amém!